Rádio Manifesto Norte - O espaço da musica independente.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

JUNTANDO O ROCK DA TRAPOS VELHOS


Juntando as peças certas e unindo cabeças que pensam para o mesmo lado, criando um estilo próprio e avassalador, na companhia de muito cigarro e bebida, a banda TRAPOS VELHOS foi surgindo aos poucos, subindo degrau por degrau até que em meados de 2005 apostando todas a fichas no velho rock n’ roll autoral, a banda conquistou o respeito e a aceitação definitiva do público amazonense.
Com a formação de Tony Roque (vocal),  Cled Stone (baixo), Raul Seixas (guitarra) e André Wesley  Vesgo(bateria) a banda vaga pelo cenário do rock autoral da cidade, e já se apresentou nos melhores bares e festivais da cidade, sempre aclamada pelo universo underground e pelo movimento de bandas autorais que produzem seus próprios eventos. A banda Trapos Velhos consegue unir através de seu som e suas letras o público de diversos gêneros do rock em uma só plateia sem desavenças de estilo.

Quando você vê no palco um vocalista com uma bandana, jaqueta de couro e óculos escuro,  na mão direita um cigarro entre os dedos e no outra mão uma latinha, é claro que você já imagina que vem coisa boa pela frente, e ao soltar sua voz cavernosa e peculiar, Toni Roque mesmo sem fazer grandes firulas no palco, como muita molecada gosta de fazer,  simplesmente consegue em pequenos gestos transmitir a loucura das músicas da banda, fazendo com que o público viaje pela poesia marginal das letras e sentir a harmonia da música. Cled Stone segurando seu baixo como uma arma letal, pirando sozinho no canto do palco segurando a onda da guitarra nervosa de Raul Seixas que não para um instante quieto, sempre atravessando o palco para duelar com o resto da banda,e  no fundo sentado e mandando porrada na bateria, fica André Wesley Vesgo,  que usa e abusa dos contratempos e viradas sempre no embalo de cada nota para junto com os companheiros de banda realizar grandes apresentações!

JUNTANDO OS TRAPOS VELHOS

Uma banda autoral como a TRAPOS VELHOS infelizmente ainda não consegue viver apenas de sua arte, assim como tantos outros artistas da nossa cidade, parece até que a ARTE em Manaus não existe ou não tem espaço, mas isso é culpa dos próprios manauaras que não abraçam seus artistas, pois tenho certeza que muitas bandas e artistas de Manaus se tivessem uma única oportunidade de mostrar seu talento, fariam de maneira excelente. Exemplo disso foi à entrevista que a banda concedeu ao Amazon Sat, no programa AMAZONIA AGORA onde falou sobre toda sua trajetória e tocaram algumas músicas em versões acústicas, e o interessante na entrevista foi que a banda se manteve fiel à origem rock, ou seja, não tentou passar outra imagem e nem tentou vender um estilo que não condiz com a essência da banda, A Trapos Velhos foi a Trapos Velhos e isso só aumentou ainda mais toda a admiração que tanto eu como os outros fãs temos pela banda e pelo seu trabalho dentro do cenário local.

ROTA 66

As letras da banda são uma mistura de poesia e sarcasmo vivenciados e criados na mente dos integrantes que narram de forma muito pessoal suas experiências e momentos de turbulências, alegrias, dificuldades, medos e viagens ao desconhecido. “Cantava reggae, rock , blues, Na hora das aulas eu fugia da escola junto com minha turma lá na praça dançava o rock de um novo amanhã!”  esse trecho da música ROTA 66 diz muito sobre a origem  dos seus integrantes dentro da cena rock, pois  expressa a rebeldia e a atitude muito antes de serem uma banda de rock.




FÉRIAS DO DITO

“Eu digo não, não, não eu quero sim, sim, sim! FÉRIAS DO DITO é uma viagem muito doida da banda, uma história repleta de bom humor, alucinação, charadas e muito sarcasmo. A música acompanha toda essa mistura com uma pegada agressiva de baixo numa escala que deixa a música ótima para entrar na roda e "polgar" , com um solo de guitarra bem rock n’ roll finalizado com a paradinha da batera que entra sempre no contratempo bem redondo e certo. É uma das músicas mais conhecidas e cantadas da banda com toda a certeza.

JARDIM SECRETO
Pra resumir essa música basta ler o trecho “Eu sou agora a hora mais perfeita do dia, Eu sou nesse instante tudo que você me falou, Eu sou na sua noite o sonho de sua vida, eu sou o prato mais gostoso que você já provou...”  Isso é a poesia da banda TRAPOS VELHOS.





COMPANHEIRO DA SOLIDÃO

"Naquele quarto companheiro da solidão eu tomava o meu chá de ervas com um rolo de fumo na mão..." Pra resumir isso LET'S ROCK N' ROLL!!!

Tenho maior orgulho de já ter tocado em alguns eventos junto com essa banda que aprendi a respeitar e admirar, por isso espero que seu rock continue prevalecendo sempre! POUCAS bandas juntas na verdade se tornam MUITAS! E o que vejo no cenário do rock autoral hoje é uma união entre as bandas autorais e o público que começa a dar mais valor às bandas autorais, ainda é muito pouco eu sei, mas se continuarmos nessa batida logo, logo a TRAPOS VELHOS e tantas outras bandas farão história nessa cidade, como diria o grande Leno "Talento tem, só falta apoio!"

 Conheça o trabalho da banda nesse endereço:








terça-feira, 29 de outubro de 2013

THE MONA VAMOS AO SHOW DA THE MONES?




1, 2, 3 E PORRADA NA CAIXA!

Em resumo essa é a definição do som da banda THE MONES, que trouxe uma proposta inovadora para o cenário rock local, ou seja, tocar punk rock autoral com desempenho de palco e visual. A THE MONES desde sua fundação em meados de 2000 sempre se caracterizou pela performance de palco e pelo visual de seus integrantes,  inspirados nas bandas de punk rock dos anos 70, sempre de óculos escuro, calça jeans rasgada , jaqueta de couro e cerveja na mão!

Eu particularmente presenciei o nascimento dessa banda e assisti a vários shows, e um em especial  pra mim foi histórico, que foi realizado na quadra da escola Estadual Castelo Branco, no bairro de São Jorge, num festival estudantil que rolou na época,  um dos meus primeiros contatos com o movimento HC da época, o festival foi muito foda e de lá todo mundo seguiu para o extinto CORAÇÃO BLUE para outro festival de Hardcore e a THE MONES arrebentado novamente, eu e o pessoal do São Jorge comparecemos em peso, pois nessa época a cena de punk rock hardcore predominava na zona Oeste com várias bandas que sustentavam a cultura HC nesse tempo. E foi muito massa a galera se reunir pra assistir a dois shows da THE MONES no mesmo dia, isso até hoje ficou gravado na minha memória!

EM VEZ DE UM LITRO EU BEBO LOGO UM BARRIL

Produzir rock na cidade de Manaus sempre foi complicado, muitas bandas acabaram por causa das dificuldades de se conseguir apoio e local para se apresentar, e a THE MONES  conseguiu se sustentar durante todos esses anos sem perder a presença de palco, a pancada, a atitude e principalmente a humildade, pois sou amigo pessoal de alguns integrantes da banda, e aqui não escrevo como amigo, e sim como um grande fã do trabalho deles. É como sempre digo, o que quebrou o movimento do rock manauara no final dos anos 90, foi justamente a competição que começou a surgir entre bandas e movimentos, uma banda começou a se sentir superior as outras, o movimento punk quebrava tudo no movimento do metal e vice versa, um não respeitava a ideologia do outro, e acabaram estagnados. Hoje a realidade é outra graças a Deus (Joey Ramone) o que se vê na cena rock manauara são bandas que se ajudam e curtem o trabalho uma das outras, o pessoal e seus movimentos quando não curtem a ideologia do outro, pelo menos respeitam, é  isso que vale e que fortalece nossa cena como um todo, hoje o rock ganhou até uma data nas festividades do aniversário da cidade de Manaus, e a THE MONES  estava lá participando e quebrando tudo como sempre não deixando o copo secar!

BABY CERVEJA

Lógico que para chegarem até hoje com todo o gás e tendo o respeito de público e crítica, a banda THE MONES também teve seus altos e baixos com saídas de integrantes por motivos pessoais, a entrada de outros músicos que não deram certo, a troca de nome da banda que chegou a acontecer no ano de 2005 passando a se chamar VELHA RÁDIO que não agradou a crítica e  o público fiel da banda, que após alguns shows voltaram a se chamar THE MONES novamente para bem geral da nação punk rock. O nome criado por Lincon Mones e Ray é devido suas bandas preferidas sempre se apresentarem com o”THE” e os sufixos “ES” ou “ONES” como THE BEATLES, THE ROLLING STONES e THE RAMONES.
O  primeiro show da THE MONES foi no dia mundial do rock de 2000, tocaram para um público de aproximadamente 2.000 pessoas, talvez nem imaginassem que treze anos depois ainda seriam seguidos pelo seu fiel público e continuariam conquistando novos fãs amantes do bom e velho punk  rock! Digo isso por que estamos em Manaus, e fazer rock aqui ainda é complicado apesar de já termos conseguido novas vitórias!

A banda possui dois trabalhos registrados, uma demo de 2001 intitulada TUDO PODE MUDAR,  que além da faixa título conta com os clássicos “COM A CABEÇA FEITA”, “FIM DE SEMANA”, “VÍCIO", "FALSOS”, e “NÃO ME IMPORTO COM NADA”. Em Outubro de 2012 a banda lançou seu segundo trabalho, o EP intitulado CERVEJA E ROCK N’ ROLL com as faixas “BABY CERVEJA” , “OPALÃO”, “EM VEZ DE 1 LITRO”, “SURF POROROCA”, e “THE MONA”. E já estão com um novo single chamado GAROTA ROCK N’ ROLL gravado no Estúdio NOSSO BOLSO RECORDS.


THE MONES ROCK THE MONES!

Essa é a banda pra quem gosta do bom e velho rock n’ roll sem frescura, chatice ou delicadeza, THE MONES não é  pra quem vai a show de rock ficar sentado de longe, é show pra entrar na roda de pogo e pirar com sua BABY CERVEJA, ouvir bem alto no OPALÃO, pra EM VEZ DE 1 LITRO beber logo um barril, fazer SURF POROROCA e depois ir pra cama com a THE MONA!

LET'S GO THE MONES!

visite o site da banda:











quarta-feira, 3 de julho de 2013

CHEIRADO DE DPEIDS ROCK PODRE!

Existe uma banda na cidade de Manaus que além de tocar um rock podre e sujo, conseguem tocar o terror nas suas apresentações levando o público ao delírio total com suas letras totalmente regionais e voltadas para o cotidiano da classe trabalhadora e de estudantes vagabundos, e ainda por cima são seguidos de perto pelo seu exército feminino conhecido como PEIDETS que não faltam a nenhuma apresentação dessa banda autoral porrada da nova safra do nosso rock caboclo, eu estou falando da banda DPEIDS ROCK PODRE!

A banda foi formada em junho de 2007, daí você percebe que até o ano em que a banda foi formada é rock n’ roll, 27 o número dos astros do rock que partiram com essa idade. Nessa época três amigos decidem montar uma banda de rock para tocar cover de outras bandas afim de reunir os amigos que sempre estavam juntos nas festas de rock da cidade, só que o desafio de tocar cover não foi muito bem sucedido, então decidiram compor suas próprias canções e assim despertando o espírito de porco da banda que foi logo metendo porrada em grandes festas e festivais pela cidade.

Com letras bem regionais combinando rock n’ roll, reggae, punk rock hard Core e muita putaria, a banda foi ganhando seu espaço no cenário local e o respeito das outras bandas que admiram seu trabalho e principalmente sua postura, pois a banda é muito ligada a causas solidárias como, por exemplo; dividir a cerveja, fazer a inteira da cachaça, experimentar novas batidas de corote para curtir e apoiar o som do nosso rock caboclo que nunca dorme!

Com a música TRANSA NA ÁGUA, a banda ganhou o prêmio de Hit do ano de 2012 oferecido pela rádio Manifesto Norte, e em seguida foi lançando hit atrás de hit aumentado ainda mais o seu fã clube de Pdeits e Peidados que se aglomeram em frente aos palcos antes de cada apresentação da banda, carregando sempre seus materiais de protesto, ou seja, muita cachaça e cerveja gelada pirando e interagindo com Carlos Castilho em sua samba canção pulando e agitando de ponta a ponta no palco com

seu vocal rasgado e agressivo, com Bruno na guitarra tocando como se estivesse  no meio da moçada pogando e pirando sem parar, Ramon no baixo é o olho do furacão empunhando seu baixo abaixo do joelho como manda o manual de todo o bom baixista que se preze, e com Ralze na bateria que controla e comanda o ritmo alucinante da banda, esses são os caras que fazem do rock muito mais do que atitude e postura, fazem do rock um prazer de vida dando um sentido novo àquilo que nunca fica velho!

 Então quando você for tomar aquela CALDEIRADA DE BODÓ lembre-se que OS PODRES DA VIDA são recicláveis, e que a DPEIDS ROCK PODRE faz um som do caralho! Por isso TRAZ O MEU ISQUEIRO que hoje é TRANSA NA ÁGUA depois A FEIRA é contigo e chama aquele teu AMIGO GORDO pra te ajudar com as compras, DOIDO DELES venderem aquela farinha naquela preço, pois A LOTAÇÃO está virando uma MISSÃO IMPOSSÍVEL  por que agora eles insistem em perguntar TU É DA ONDE?

Muita bebida nesse almoço caboclo tocado e cheirado ao som da DPEIDS ROCK PODRE!


Conheça um pouco mais da banda acessando esse endereço:

sexta-feira, 31 de maio de 2013

É ASSIM O ROCK DA NICOTINES!



Quando a amizade e a humildade são maiores do que o orgulho e a vaidade, o seu conhecimento expande e o reconhecimento aumenta, talvez poucas bandas alcancem esse reconhecimento ao longo de sua existência, mesmo aquelas que se acham superiores pelo fato de terem os melhores equipamentos, formação acadêmica, dinheiro, por terem estudado fora do Brasil e formado suas panelinhas com os gananciosos donos de estabelecimentos e casas de shows da cidade, e apesar de tudo isso completarão dez anos de banda tocando músicas dos outros e nunca terão o reconhecimento que bandas como a NICOTINES alcançaram através de suas músicas, seus amigos, seu talento e principalmente pela sua atitude, por que banda de verdade se inspira em outras bandas, e as falsas copiam as mesmas bandas matando seus clássicos noite adentro em bares de rock frequentados por todo tipo de público, menos por roqueiros!

Formada em 2005 no cenário alternativo de Manaus, a banda NICOTINES tem forte influência do Indie rock dos anos 80 e 90 inspirados por bandas como: The Jesus end Mary Chain, Echo & The Bunnymen, Pixies, Placebo, Sonic Youth, Jane’s Addiction, Nada Surf entre outros. Mas apesar de todas essas grandes influências do Indie Rock, a sonoridade da banda também perpassa o Hard rock e possui até mesmo pitadas de Grunge.

Atualmente a banda é formada por Sandro Nine no vocal, Márcio Denis na guitarra, Lauro Henrique na bateria e Frank Roos no baixo, que além de ótimos músicos também são engajados no movimento de rock autoral da cidade e participam ativamente de eventos regionais e nacionais com o propósito de divulgar o cenário musical regional. Além disso, Sandro Nine também é diretor e apresentador na web Rádio Manifesto Norte, que tem sua programação voltada exclusivamente para a música independente nacional, iniciativa que começa a colher bons frutos para a nossa cultura e para o movimento underground.

A BANDA NICOTINES já tocou nas mais diversas casas e projetos como:

*No ponto de cultura Arte e Fato
*Projeto Toca Rock (Grande referência no circuito alternativo)
*No Pub Caverna Rock – sessão das terças e outras festas
*Motorock com o Projeto Cuia Sonora (do Cuia Coletiva)
*Casa de Música Ivete Ibiapina, no fechamento do IV Congresso Fora do Eixo, em Manaus ao lado da cantora Elisa Maia.
*Jérdan Rock Bar, outro espaço alternativo da cidade.

Em festivais alternativos a banda já participou do:

*TomaRRock 2011 em Boa Vista/RR, dividindo o palco com bandas bastante expressivas, como: Camarones Orquestra Guitarrística, Nekrost e a consagrada banda Dr. Sin.
*Em Março de 2012 a banda foi ao Grito Rock, na fronteira de Roraima com a Guiana Inglesa, compondo o line up de bandas como a Acertijo (da Venezuela) e Lekuana (Boa Vista/RR).

TUDO ACABARÁ ANTES DO INVERNO

O single “ANTES DO INVERNO” gravado nos estúdios ESP do Produtor Eddie Cabeleira, é uma das primeiras músicas que revelam o talento dessa grande banda em toda sua competência, sua poesia pesada e arranjo visceral demostram a qualidade sonora capitada de suas influências e estilos tão peculiares que se unem em um único objetivo, FAZER MÚSICA! É apenas isso que importa na verdade para uma banda com o propósito definido desde seu início. “querem me prender não vão conseguir, quero vê você tremer de tanto resistir, as grandes pessoas fazem um inferno e tudo acabará antes do inverno!” outras canções próprias também fazem parte do set list da banda como é o caso de ROSA JUNKIE, JUDAS CHAPMAN e DIAS FELIZES. Todas fazem parte do primeiro EP da banda intitulado CAFÉ, MARTINIS E CIGARROS, atualmente em fase de pré-produção.

A banda NICOTINES nos leva a uma verdadeira viajem particular pelo mundo de seus integrantes revelando seus segredos, iras, dores, amores e revoltas que querendo ou não, acabam sendo também nossas próprias revoltas e temores, e nada melhor do que beber um Martini para ajudar nas ideias, tomar um café para acalmar o estresse e fumar um cigarro para começar tudo de novo ouvindo a NICOTINES!!!








 conheça um pouco mais sobre a banda nesse endereço:





quarta-feira, 3 de abril de 2013

FAZ TEMPO QUE EU OUÇO OS PLAYMOBILS!


Quando digo que a qualidade do rock manauara sobrepuja a falta de incentivo e reconhecimento da mídia local e nacional, muitos acham que falo isso apenas da boca pra fora, ou mesmo tento inventar uma desculpa, e quando bato boca com alguém dizendo que em Manaus não existem boas bandas de rock, eu simplesmente me calo e faço essa pessoa ouvir OS PLAYMOBILS e pronto! Não digo mais nada e a pessoa ouve apenas uma música da banda e já começa a balançar a cabeça, bater o pé e dá um leve sorriso sempre com aquele comentário “poxa muito legal, nem parece que é de Manaus!” 

PUNK ROCK BUBBLEGUM!

No final do ano 2000, os irmãos Carol e Henrique Magnani junto com o seu vizinho e amigo de infância Albenizio Junior, decidem montar uma banda de punk rock bubblegum influenciados pelo rock n’ roll dos anos 60 e o punk rock dos anos 70 e 80, e já de cara os três tinham como objetivo principal criar e tocar suas próprias canções que surgiram aos montes nesse período criadas nas rodas de violão e conversas com os amigos, fugindo desde cedo do estereótipo de “mais uma banda cover da cidade!” que nessa época predominavam após o ostracismo deixado pelas grandes bandas do final dos anos 90, em uma época em que o centro de Manaus respirava rock n’ roll com bares, festas e eventos Underground  numa praça do congresso repleta de tribos urbanas e figuras que foram sendo extintas juntamente com metade da cena daquela época.

Henrique Magnani assume a bateria e os backing vocals, sua irmã Carol Magnani sai na frente com a guitarra e Albenizio Junior encara os vocais e o contra baixo da banda, assim nascia um dos melhores Power trios da cidade, que logo foram ganhando seu espaço no cenário local, tocando em grandes festivais e eventos da cidade e também organizando seus próprios eventos, sempre cheios e prestigiados pelo público sedento por boas músicas.

Em 2006 a banda grava sua primeira demo intitulada “Os Playmobils” com 14 faixas que era distribuída gratuitamente em suas apresentações, a fim de divulgar o trabalho da banda, projeto que deu muito certo e aumentou ainda mais seu público caindo inclusive no gosto do público de outros gêneros do rock que foram curtindo seu som e suas letras, levando a banda a se apresentar em grandes festivais da região. A banda também tem uma produtora independente chamada Push Play produções e são responsáveis pelo projeto Vinil Rock Live.

EU PERGUNTEI AS HORAS FALTAM 15 MINUTOS!

Os Playmobils lançaram o EP intitulado “3X4” em dezembro de 2011 com 5 excelentes músicas que lhes renderam o prêmio de melhor disco de punk rock de 2012 pela web rádio Manifesto Norte, e não é pra menos esse disco é realmente “sensacional” como diria o jornalista Sandro Nine, um disco muito bem elaborado e gravado, exaltando o talento dessa banda manauara expressado em suas influências de bandas como Ramones, Ultraje a Rigor, Tequila Baby, Los Vatos, Roberto Carlos, The Beatles, The Queers e Toy Dolls mesclando o clássico a uma pitada de bandas inovadoras, talvez por isso músicas como ELA AINDA VIVE EM MIM faz você ter um dejavú, pensando “já ouvi essa música em algum lugar!” e esse lugar é o fundo da alma, pois você acaba absorvendo essa música na melodia do vocal de Albenizio Junior, na pegada da bateria de Henrique Magnani e na palhetada "johnnyramoneana" de Carol Magnani. A música FAZ TEMPO mostra o clássico extraído de suas influência no trecho “só o tempo poderá dizer o que irá acontecer...” com o backing vocal acompanhando ao fundo fazendo toda a plateia e os ouvintes cantarem junto o Hoohoohoo! A música CINEMA com a sua pegada punk rock se diferencia pela letra, lembrando muito as composições do rock da jovem guarda do Roberto Carlos “seu namorado traz pipoca e refrigente, seu celular é uma lanterna e eu te vejo distante...” O MAIS IMPORTANTE é uma das melhores músicas de rock que eu já ouvi, e olha que eu ouço e conheço muita música de rock e essa música me faz pirar literalmente, eu não posso ouvi-la se por acaso eu tiver tomando algum remédio forte, tipo um antibiótico ou outro, por que é só ouvir essa música e a primeira coisa que eu faço é pedir uma cerveja bem gelada e gritar “Todo o meu tempo é para você!” ao ouvi-la lembro muito meus antigos namoros frustrados da adolescência quando eu perdia minhas namoradas para o consumismo das roupas, perfumes e passeios forçados ao shopping Center. MEMORIZE termina o disco em auto estilo punk rock Bubblegum com um tecladinho no fundo muito massa!

A banda também lançou o livro RECORTES ÁCIDOS – O ROCK DOS PLAYMOBILS escrito pelo vocalista Albenizio Junior entre 2008 e 2009 num momento em que a banda havia dado uma grande parada nos seus trabalhos, no livro o vocalista conta seus relatos sobre as apresentações da banda em cada noite, as  pessoas, o cenário local e algumas outras histórias , o livro foi publicado pela editora Bartlebee, de Juiz de Fora – MG, pertencente ao ex-baixista da banda Underflow Daniel Valentim.

Em Abril desse ano a banda planeja o lançamento de seu segundo EP intitulado “QUERO VER ATÉ ONDE VOCÊS VÃO” pela gravadora R3 Home Studio e produzido por Rafael Rebelo.

Para conhecer melhor o trabalho da banda basta acessar o  endereço da banda nesse link:

 detalhe, adivinhe que música eu estou ouvindo agora com uma cerveja do lado?










segunda-feira, 18 de março de 2013

É ROCK? ENTÃO VAMOS DE CATRAIA ROCK!



Em meados de 2010, com a cena rock manauara tentando engatinhar novamente após o período áureo do final dos anos 90, eis que surge uma banda que já chega logo caminhando em direção ao palco com guitarra na mão, baixo empunhado e bateria a postos, prontos para tocar o bom e velho rock n’ roll, eu estou falando da banda CATRAIA ROCK!

CATRAIA ROCK NA VEIA CABOCLO!

CATRAIA! No nosso dicionário significa “pequeno barco tripulado por um homem” no nosso movimento significa “grande banda com músicas do caralho!”, pois é a única maneira de descrever a banda que conta nos vocais com Zelito Jacob, nas guitarras Carlos Paiva e Jean Carlo, no baixo Huggo Sena e na bateria Tonny Peixoto. Grandes músicos em perfeita harmonia tanto nas letras da banda como em sua musicalidade influenciada por bandas como Titãs, Plebe Rude, Legião Urbana, Garotos Podres, Iron Maiden, Black Sabbath, Dead Kennedys e Radiohead.


A banda surgiu com a intenção de fazer músicas próprias e reunir os amigos para fazerem e curtirem o bom e velho rock n’ roll, com forte referência dos anos 80. Com suas guitarras distorcidas, baixo pesado e agressivo, bateria potente e acelerada e com um vocal melódico e ao mesmo tempo inebriante fazem o som da banda soar mais hardcore, o que acabou atraindo uma nova levada de fãs que curtem suas letras, estilo e suas performances ao vivo, sempre com muita empatia para com o público e entrega ao extremo.

As letras da banda falam sobre as situações marcantes do conflito social, amor verdadeiro e complicado, política, modo de vida e trabalho. A banda já fez shows em bares como Sherlock Holmes, Quiosque Beer e Felakuti, assim como nos festivais de música da FUCAPI, Banquete dos Mendigos e no Dia Mundial do Rock realizado no Parque dos Bilhares em Manaus, onde tive o prazer de ter visto pela primeira vez a banda ao vivo, e o que eu posso dizer é que essa banda É FODA! Músicas como BAD TRIP fazem você entrar na roda de polgue automaticamente, pois quando dei por mim, tava pirando com os malucos e só entendia o trecho que dizia “sete chaves do meu peito, o meu desespero...”. Eu só cantava esse trecho e pirava no huuhuuhuu... Simplesmente foi um dos melhores shows de banda autoral que vi nos últimos tempos, e desde então me tornei mais um dos fãs da banda.

Além de BAD TRIP, músicas como CÉU CINZENTO “são três dias que valem por trezentos, vou falar a verdade pra vocês, durante a semana de um céu cinzento o destino de trezentos nas mãos de três!” referindo-se a um líder de uma fábrica ou empresa que tem que preparar o investimento do ano inteiro defendendo seu orçamento. Temos ainda a música DESEQUILIBRAR, numa batida bem punk rock anos 80, com uma quebrada no meio da canção onde o baixo faz uma introdução venenosa para uma entrada de hardcore “você não pode me cheirar, você não pode me amar só o que eu quero vou desequilibrar” a roda de polgue abra na hora! Tem ainda a música de protesto DOUTRINA DESESPERO falando sobre o descaso social, as mães solteiras criando seus filhos pelas ruas e a opressão policial “18, 10, 2!”. MON AMI numa levada mais poética de letra forte e reflexiva, SÓ QUERO IR PRA CASA tentando fugir de tudo sair da prisão interna e fugaz, o CACHORRO E A GATA que eu descrevo como uma música genial , que se encaixa aos bons e velhos namoros de maluco e paty, bêbado e careta, num tom sarcástico e muito hilariante gostosa mesmo de se ouvir e muito bem elaborada “sou seu cachorro você e a minha gata” nem digo que seja uma música de duplo sentido, mas sim, um triplo sentido bem escrito descrevendo os preconceitos sociais que  infelizmente ainda existem em nossa sociedade em relação a statos,  nome de família, classe ou mesmo cor, e Além de todas essas músicas a banda ainda tem uma versão incrível da música BEIRA MAR do cantor Zé Ramalho, Ouvi a primeira vez no programa RUÍDO do meu amigo Rojefferson Moraes pela rádio Manifesto Norte, e pirei junto com alguns amigos que estavam comigo ouvindo o programa, a música simplesmente ficou perfeita que nem parecia uma versão e sinceramente até o Zé Ramalho se um dia ouvi-la vai dizer que a música é da banda CATRAIA e  foi ele que fez a versão.

A banda atualmente tem um CD demo gravado com 13 músicas e um vídeo clipe de “UMA FOTO” uma das música de trabalho da banda. Você também pode ouvir algumas músicas no endereço http://www.myspace.com/catraiarock e curtir a página da banda no facebook  CATRAIA ROCK e acompanhar a agenda de shows dessa que é uma das melhores bandas do rock manauara da atualidade, desamarrem a catraia e vamos atravessar o rio e cair no rock!





terça-feira, 29 de janeiro de 2013

BANDA ALÉM DA SOCIEDADE



Com uma forte influência do rock pop britânico, eis uma banda que traduz em suas letras e em suas melodias uma sequência poética refletida sobre o cotidiano da nossa sociedade mesclada de um lado pelos idosos e experientes que perderam o interesse pela luta e pela ideologia, e de outro por uma juventude que nunca se interessou por qualquer luta ou ideologia.

Formada em meados de 97 por Júnior assumindo voz e violão, e por Emerson no comando da bateria, a banda começava a traçar seu estilo e musicalidade, em 99 com a chegada de Newython tocando guitarra e depois baixo se revezando entre os dois instrumentos até 2002 quando Denny entra para assumir de vez o mando do contra baixo, e assim completando a formação definitiva da banda.

A banda já tocou nos principais eventos e festivais da cidade como a Sexta Cultural - DCE-UA (Diretório Central dos Estudantes: Univers. do Amazonas) - 1999.
- Rock Made in Brazil - Club da Philips: 1999.
- Bar Woodstock Café: Manaus: 2000.
- Festival Universitário de Música FUM: Universidade do Amazonas: 2001. 5º - Fúria de Arcanjo
- Festival de Música La Salle: Manaus: 2001.
- FEST ARTE: Manaus: 2001.
- Teatro Gueto: Manaus: 2002.
- Ação Contra a Fome - Universidade do Estado do Amazonas: 2002.
- FEST ARTE: Manaus: 2002.
 E participou do programa ZAPPEANDO do canal Amazon Sat, FALA AÍ da TV Cultura e se apresentou na Rádio Amazonas FM.

Músicas como ANTÍTESE nos fazem refletir sobre algumas questões pessoais do nosso cotidiano, as pequenas coisas que nos cercam e que nos dão grande felicidade, assim como as grandes conquistas que muitas vezes não nos agregam absolutamente nada, um olhar distante em nosso próprio redor como diz o verso “no quintal tenho mangueiras, galhos longos folhas secas...” numa visão ao redor de si mesmo tão profunda quanto escassa. PARA BIA se torna um relato da juventude em forma de diário contando seus medos, dúvidas, desejos, curiosidades e o nascimento da rebeldia, do lado obscuro da incerteza, de se achar livre para viver da maneira que quiser, mesmo sabendo que todos esses sentimentos serão futuramente apenas momentos esquecidos.
As influências da banda vão de Beatles, Pink floyd, Cold Play, Iron Maiden, Metallica e bandas nacionais como Legião urbana, Ultraje a Rigor, Plebe Rude, Ira e outras bandas nacionais dos anos 80 que direto ou indiretamente influenciaram na musicalidade da banda que criou uma identidade que vai muito ALÉM DA SOCIEDADE!


Conheça o trabalho da banda entrando no site www.palcomp3.com/alemdasociedade