Rádio Manifesto Norte - O espaço da musica independente.

quinta-feira, 26 de abril de 2012

VAMOS PIRAR COM A PLATINADOS!



Para entender por inteiro a cena rock local basta ouvir as músicas da banda PLATINADOS, e para entender ainda mais o espírito rock da cidade, basta assistir a um show da banda.
A platinados é uma das grandes bandas de rock da região norte, que mesmo sem o apoio da mídia local, foi capaz de ultrapassar fronteiras através do boca a boca e das fitas k7 que os integrantes vendiam aos seus fiéis seguidores. Assistir a um show da Platinados era uma das mais vibrantes empolgações dos jovens roqueiros manauaras no final dos anos 90, com shows antológicos pelos antigos bares da cidade e no histórico dia mundial do rock no anfiteatro da ponta negra, naqueles velhos tempos...
A formação original da banda se dá em meados de 1997 com Clóvis Rodrigues nos vocais, Carcassa na guitarra, Said na bateria e Beto doido  no baixo. Formação clássica que ganhou ainda mais notoriedade quando o baixista Klinger Asma assumiu o controle do baixo e Pedro Garnizé assumiu a batera, juntando-se a Clóvis e Carcassa formando assim a formação que causou a verdadeira revolução do cenário rock local. A banda tem um som bem rock n’ roll levado para o Blues com influências de grandes bandas como The Doors, Led Zeppelin, Black Sabbath, Secos e Molhados, Danzig, Mutantes e outras substâncias...
No distrito industrial eu tinha vários amigos que conheciam a banda através de shows, fitas e cd “demo”. Quando uma dessas fitas chegou até as minhas mãos, eu simplesmente colei o platinado literalmente, achei impossível que aquela banda fosse de Manaus, por tudo que ouvi naquela fita, “dizem que eu sou, sou  pêlo, pele e osso, pelo brilho e pelo corpo pela sede de beber...” são verdadeiras viagens sonoras e por que não dizer alucinógenas ouvir a Platinados em qualquer momento ou estado de espírito.
Hoje possuo um cd da banda, o famoso ACUDECAVALO e duas músicas gravadas na coletânea fronteira norte, que conta com outras grandes bandas locais e não sei sinceramente por que esse projeto foi abortado, podiam pelo menos lançar uma nova edição, pois ali estão as melhores obras do rock local, sem sombra de dúvidas. Eu tinha uma amiga que não curtia muito o rock local, mas ela se apaixonou pelos vocais do Clóvis, que além de cantar muito, interpretava sua poesia marginal como um verdadeiro poeta do século XV, segundo ela.
 Além das apresentações, pois o grande diferencial da Platinados é justamente a performance que a banda sempre teve no palco, outro grande trunfo da banda são as letras. Quem nunca pirou com a gatinha do lado ouvindo POR TUDO QUE HÁ DE MAIS SAFADO degustando um vinho barato na praça do congresso em rodas de viola, ou pirou o cabeção indo pra Itacoatiara de mochila nas costas achando que estava no paraíso, que estava na Babilônia. Ouvir ALÉM DA IMAGINAÇÃO me lembrou muito a primeira vez em que ouvi Strange Days do The Doors, talvez por que eu estava literalmente além da imaginação.
Fui a shows no Macintoch que para mim foi a faculdade do rock amazonense, pois era o único bar na cidade que possuía um jukebox com CDs de bandas locais, e ali tinha Espantalho, Chá de Flores, Zona Tribal, a coletânea fronteira norte volume 1 & 2, e claro, Platinados que tinha um dos hinos do bar...TRAJETÓRIA.
Sinceramente essa música TRAJETÓRIA além de ter um dos melhores clipes da região norte  e por que não do Brasil, é a  música que melhor resume a vida rock n’ roll da cidade! Eu não tenho dúvidas quanto a isso, cheguei a ver várias entrevistas da banda e no outro dia o pessoal do movimento ficava no maior alvoroço “ei tu viu a Platinados na TV?” isso era muito legal de ouvir e ver que o rock caboclo tinha uma banda como referência.
Se alguém acha que eu estou exagerando é só assistir o clipe da música no youtube o endereço é esse http://www.youtube.com/watch?v=kRbcMx5cySU assista e  compare a piração dos anos 90 com a idiotice do ano 2000, cheio de bandinhas coloridas  certinhas que não se drogam por que são a própria droga do seu escroto universo.
“Hoje é domingo tem galeroso aqui no agito!” esse trecho da música trajetória é hilário, não consigo ter em mente outra música para relatar a mistura “dos camisas pretas” cabeludos debaixo do sol escaldante dividindo sua cachaça com os galerosos de plantão que estão ali apenas pelo álcool e pelo assalto. A Platinados mesmo com anos de estrada e tantos outros parada, nunca vai deixar de ser histórica para o cenário local, por isso quando você ouvir “ ei vem vamos pirar...em Itacoatiara!” pense também ei! vem vamos pirar com a Platinados!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

O HEAVY METAL DOS ESPÍRITOS DA FLORESTA


Em meio a todos os ritmos locais que tanto predominam nas programações  de rádios e casas de shows da cidade, junto  a  um povo que tradicionalmente não sabe reconhecer seus artistas, numa terra onde é mais fácil se adaptar a cultura de outros estados do que mesmo aceitar sua origem, em uma panela governamental que excluí os verdadeiros talentos regionais da arte, da literatura, e da música, enfim, no meio de tanto modismo comercial existente na cidade, ainda temos o bom e velho HEAVY METAL!
Temos várias bandas de heavy metal na cidade, que são um pouco abafadas pela falta de opções de bares e festivais escassos na cidade, já que os bares mais ditos “de rock” não abrem espaço para que as bandas possam mostrar seus trabalhos autorais, por isso é fácil você ouvir as chamadas de aniversários de bandas que completam dez, quinze e até vinte anos de carreira sem terem uma única música própria conhecida, ou seja, vivendo décadas tocando couver pelos bares da cidade.
Muitas vezes essa falta de espaço nem se dá pela política desses bares, e sim pelo próprio público que reconhecidamente não apoia valores locais, mas isso está mudando graças aos deuses do metal, e essa mudança começou quando uma banda local foi premiada no famoso festival WALKEN METAL, representando o norte, quebrando assim todos os paradoxos culturais vistos pelos olhos dos outros estados, e essa banda chama-se NEKROST!
Mesmo sem o apoio do governo ou prefeitura, a banda foi tocar e representar o estado  na Alemanha, além disso, a banda foi uma das mais aplaudidas chamando a atenção de outras grandes lendas do metal. A força e o talento da Nekrost só mostra o quanto o nosso povo é talentoso, basta apenas o incentivo certo, ou seja, o público apoiar nossos talentos, graças a Nekrost essa cena tem mudado bastante, não só com as bandas de metal, mas com o rock em geral, hoje as bandas regionais já são mais reconhecidas pela mídia, inclusive até abrindo festivais importantes da região, claro que ainda falta muito, pois quem não esquece a famosa virada cultural onde tiraram a banda Essence do palco para a entrada da porcaria do Tico santa ”não sei o quê” tocar porcamente couver de bandas nacionais.
Nós não precisamos trazer bandas de fora para termos um grande festival, temos aqui as melhores bandas de rock do Brasil, em todos os gêneros, pois a Nekrost é a prova maior disso, nosso rock é caboclo sim, mas também é pesado por toda a história da nossa cultura. Até o sistema já começou a perceber isso, tanto que tivemos o primeiro festival Amazonas de Rock, que roqueiro de Manaus dos anos 90 poderia imaginar isso um dia?
O melhor nesse festival foi ver o público pirando com as músicas próprias das bandas, o show da Necrost então nem se fala, foi insano em todos os sentidos da palavra, tanto pelo desempenho da banda como por suas músicas próprias, ao contrário do que disse antes, a Nekrost não depende de couver, pois suas músicas são verdadeiras e originais.
Espero que o público local continue apreciando nossos valores, pois não precisamos importar ídolos, nós temos os nossos caboclos que até mesmo no Heavy Metal fazem a História acontecer, por isso a Nekroste faz o heavy metal dos espíritos da floresta!