Rádio Manifesto Norte - O espaço da musica independente.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

O ROCK UNDERGROUND DA DEXTER CHAPADO


A banda mais anti-convencional do movimento underground com toda certeza foi a Dexter Chapado. Nenhuma banda foi tão taxada e criticada pelos idiotas amantes de couver, baladinhas e músicas de amor caretas, que ao verem a Dexter Chapado subir no palco, já sabiam que dali em diante só iria rolar o mais puro e puto rock n’ roll de maluco! E que o espaço dos caretas e conservadores estaria destruído.
Com letras agressivas e ao mesmo tempo poéticas, a Dexter Chapado inovou no estilo ao fazer um rock pesado e divertido ao mesmo tempo, narrando o cotidiano social na visão cruel e seca de uma banda presente nos ambientes mais inóspitos da cidade, que desde sempre começou anarquizando ao organizar e promover seus próprios eventos.
A primeira vez que ouvi e vi a Dexter Chapado foi no programa local “FALA AÍ!” Eles tocaram músicas para uma platéia de estudantes do ensino médio eu acho que pareciam figurantes de alguma peça teatral, e o vocalista Tiago cantava e pulava  o tempo topo no meio da platéia pirando junto com o  guitarrista Euclides que não parava de balançar sua  cabeleira para uma platéia que ficava batendo palminhas sem entenderem nada, eu pirei ao ver o estilo da banda tipo que mostrando para aquela molecada inexpressiva  “ ISSO SE CHAMA ROCK N’ ROLL!”
O melhor de tudo era na parte de entrevistas, pois o assunto em pauta era “sobre ser uma patricinha”, e tinha umas duas moças lindas lá que se diziam patricinhas assumidas e tal, e elas falavam coisas tão fúteis que quando a câmera mostrava a banda, eles faziam questão de demonstrar desinteresse total pelo assunto, pois queriam mesmo era fazer um som ao vivo, e em seguida sem perda tempo tocaram a música velho barrigudo careca!
Uma semana após isso, tive o prazer de conhecer a banda pessoalmente em um estúdio, conversei alguns minutos com o vocalista Tiago, e horas depois estávamos em minha casa bebendo cerveja e falando sobre música, logo depois começamos a organizar nossos próprios eventos de rock n’ roll pela cidade, foi a revolução total do underground nessa época, tanto que até no antigo Antares Clube, famosa casa de brega e forró da época, foi realizado um festival totalmente underground, isso graças as bandas daquela época que não fugiam de seus ideais, e não se importavam com os gritos do público alienado que vão para shows undergrounds querendo ouvir as mesmas músicas que ouvem todos os dias nos seus CDs e DVDs, porra é foda!
As músicas da Dexter Chapado são tão incríveis que vão literalmente do protesto poético ao anarquismo total como na música EU VOU MATAR O BUSH hardcore total, e nos diverte com a estrofe da música KARLINHA“lá vem teu pai, lá vem teu pai, baixa a saia Karlinha, lá vem teu pai lá vem teu pai disfarça, disfarça!” esse trecho ao vivo é cômico e contagiante, diferente da música CAMUFLANDO O TERROR, que literalmente toca o terror e a tensão vai além, há também uma música muito interessante que talvez seja a que defina melhor a banda, que se chama ZÉ BLACK DO BACK. Mas a minha música preferida da banda sem dúvidas é a  VIDA DEPRESSA DEMAIS, não há melhor música pra se ouvir ao vivo bebendo uma cerveja em um show de rock!
Os poucos que conseguiram um CD demo da banda são sortudos como é o meu caso, mas quem não teve essa sorte pode ouvir algumas músicas da banda no www.palcomp3/dexterchapado ou entrar no www.palcomp3/tiagooliveiraeoswarlockneedles e se divertir com uma das melhores bandas do cenário underground da cidade, mas antes de ouvir as músicas, não se esqueça de comprar uma caixa de cerveja ou uma garrafa de vinho, pois o que não nos mata é  o que nos fortalece!