Rádio Manifesto Norte - O espaço da musica independente.

terça-feira, 31 de maio de 2011

O SOM DA BANDA METAFÓRICA


A PRIMEIRA vez que ouvi a banda metafórica foi num ensaio que eles faziam para tocar no primeiro VILA MARINHO ROCK FESTRIBAL, na época a banda era formada por Willeson na guitarra, Márcio Foster no baixo, Jorge na bateria e tinha nos vocais o Leandro e o Roger Morello (hoje ambos na banda poema de Ravel).

ATÉ ENTÃO achava que eles estavam fazendo só mais um ensaio normal, tirando as músicas de outras bandas, principalmente das bandas locais, pois a proposta da Metafórica sempre fora essa, ou seja, tocar as músicas locais de bandas como chá de flores, zona tribal e espantalho, que tiveram bastante influência na banda e principalmente no vocalista da época Roger Morello, que levantava a bandeira do rock Amazonense.

CARA! Mas quando eu vi os garotos tocarem suas primeiras músicas próprias, confesso que fiquei emocionado pra caralho! Vendo ali aquela nova geração surgindo e compondo ótimas músicas me fez acreditar ainda mais no futuro do rock local, tocamos juntos pela primeira vez nesse festival da Vila Marinho e foi o primeiro de muitos shows que se seguiram até outros projetos aparecerem e novos problemas surgirem como é normal sempre em qualquer meio.

A BANDA Metafórica deu um tempo bem longo, testou outros membros, novos vocalistas e até mesmo outros sons, e agora finalmente parece que acharam a formação ideal, até o vocalista mais doido que eu conheço tocou com eles num programa de televisão, esse cara é o Branco da banda Crepúsculo, que ensaiou e bebeu um bom tempo com a banda.

MÚSICAS como Juliana e Arquivo Morto mostram um som pesado com uma harmonia que soa bem aos ouvidos, isso sem perder o peso do rock, ao contrário de muitas outras bandas que ficam fazendo músicas de amor, com um som pesado e que destrói por completo o ROCK e fica chato pra caralho! Isso não acontece com o som da banda Metafórica, já que seu letrista o guitarrista Willeson é muito sensível em captar as emoções que cercam sua trajetória e a dos seus amigos, um compositor com uma visão forte sobre o comportamento juvenil da sociedade, inspirado em nomes como Renato Russo e Cazuza, inclusive até mesmo o baixista Marcio Foster também começou a compor suas primeiras canções que se encaixam perfeitamente ao estilo da banda, que mesmo com a entrada de novos componentes, sempre manteve sua base original o que influencia diretamente no ambiente da banda.

ENFIM para quem deseja conhecer melhor a banda, é só procurar a comunidade Metafórica no Orkut e acessar os endereços da banda nas outras redes sociais, mas eu recomendo mesmo é assistir ao vivo a um show de rock pesado com letras marcantes e músicos competentes que juntos e ainda jovens sonhavam em ter uma banda, e hoje esse sonho se tornou em realidade e transformou a realidade numa grande Metafórica!

segunda-feira, 30 de maio de 2011

SEM MEMÓRIA

SEM MEMÓRIA
Hoje fazendo uma pesquisa pela cidade, percebi que nossa história é linda, Mesmo não tendo o merecido respeito. Primeiramente pela nossa própria cultura ridicularizada por nosso complexo de inferioridade nortista que faz a grande maioria da cidade se tornar fã de outras culturas e novos hábitos  que eu acho repugnante.


Manaus era linda demais!


Nas fotos e vídeos vemos como a Paris dos trópicos era imponente em meio à selva, com sua vestimenta herdada do velho continente, mas com o requinte caboclo de nossos homens fortes e esbeltos e com lindas morenas de pernas grossas e quadril largo super definido.


Não é possível que nas escolas municipais e estaduais não falem disso com a verdadeira importância, mostrando apenas pequenas passagens sem grande êxtase para os alunos acostumados às aulas sem graça de professores desmotivados, sem aparato necessário para darem uma verdadeira aula sobre nossa história que é linda e muito interessante.


Os prédios imponentes da época hoje servem de abrigo para catadores de lixo e para os viciados do centro da cidade, isso quando não são demolidos pelo governo ou por algum outro órgão capitalista que destrói tudo em beneficio próprio, sem se preocupar com a nossa história destruída por mais um projeto de habitação que serve para o conforto de poucos ex-moradores dos igarapés contaminados por eles próprios e que logo mais também vão poluir todo esse trabalho de revitalização dos igarapés futuramente, como já está acontecendo.


Sem memória fica difícil projetar o futuro, adoro os gringos que vem por aqui tirar fotos da Manaus moderna, do mercadão, da escadaria dos remédios sem se importar com o tremendo fedor de lixo que entope as ruas e as calçadas, eles sim são verdadeiros turistas. Manaus precisa urgentemente resgatar sua memória, isso só depende do seu povo que precisa aprender a dar valor a sua cultura, tanto na escrita como na música, nas artes plásticas enfim, de tudo que nasce da nossa região tão imponente no cenário nacional, hoje jogada aos restos de tradições adotadas de outros estados e principalmente de outros países.